Felicidade Animal


Tanto os animais não-humanos, como os seres humanos, são seres sencientes com interesses e necessidades. Já alguns estudos demonstraram que outros mamíferos1, peixes2 e crustáceos3 sentem dor por mecanismos moleculares semelhantes aos dos seres humanos. Há estudos que também indicam que animais não-humanos podem experienciar alegria4. Por essa razão, a GHO tem o objetivo de reduzir o sofrimento e aumentar o bem-estar de seres vivos dentro desses grupos.

Cada ano que passa, mais de 60 bilhões de animais terrestres são criados pela indústria de produção de carne global, apenas com o intuito de terminar como comida nos nossos pratos5. De uma perspectiva de felicidade, a maior parte desses animais não-humanos provavelmente viveram uma vida que não valeu a pena6, em desconforto, dor crónica, e stress. Tal crueldade brutal existe não só na indústria alimentar, como também na indústria cosmética e de peles, tanto a um nível nacional como internacional. A exploração de animais não-humanos permeia toda a nossa sociedade, não só nas três indústrias citadas, mas também em jardins zoológicos, circos e touradas.

Ao longo dos anos, a GHO tomou um número de iniciativas contra o sofrimento animal nas indústrias exploradoras de animais. O nosso objetivo é trazer uma mudança de atitude. Buscamos mudanças legislativas que aumentem o status de animais não-humanos de acordo com nossa filosofia de que todo o sofrimento é recriminável na proporção da sua severidade – independentemente da raça ou espécie da vítima. A Felicidade Animal trabalha pela abolição das indústrias cuja existência possa levar a sofrimento animal. Enquanto essas indústrias durarem, no entanto, as condições de animais não-humanos em cativeiro devem ser melhoradas. Adicionalmente, na GHO nós buscamos promover e acelerar o desenvolvimento de novas tecnologias que possam reduzir o sofrimento de animais. Um exemplo dessas tecnologias é o desenvolvimento de carne in vitro para consumo humano. Entre outras medidas, temos informado a classe política sobre as perspectivas de produzir carne in vitro, e temos organizado exibições em museus e bibliotecas compartilhando informação sobre os benefícios da carne in vitro – em comparação com a carne obtida a partir de animais.

Diretor: Ludvig Lindstrom
Contato: ludvig.lindstrom@globalhappiness.com

  • 1. Griffin DR, Speck GB (2004) "New evidence of animal consciousness" Anim. Cogn. volume 7
  • 2. Sneddon LU, Braithwaite VA and Gentle MJ (2003) "Do fish have nociceptors: Evidence for the evolution of a vertebrate sensory system" Proceedings of the Royal Society: Biological Sciences, 270 (1520)
  • 3. Robert W. Elwood, Mirjam Appel (2009). "Pain experience in hermit crabs?". Animal Behavior.
  • 4. Marc Bekoff, The Emotional Lives of Animals: A Leading Scientist Explores Animal Joy, Sorrow, and Empathy and Why They Matter (2007)
  • 5. FAOSTAT, 2006. Animal production online database. Food and Agriculture Organisation of the United Nations (FAO).
  • 6. Oscar Horta, University of Santiago de Compostela. Questions of Priority and Interspecific Comparisons of Happiness.